Decidir POR e não CONTRA

Companheiras, Companheiros

Caros Amigos

 

Chegou a hora de vos dirigir algumas palavras.

Ao longo deste últimos 8 meses fui, atentamente, observando as movimentações, aspirações, ambições, lamentações e sentimentos de revolta de alguns Companheiros.

Esperei, ponderei e decidi.

Decidi pelas ideias, decidi POR e não CONTRA.

Decidi porque acredito que a verdadeira Social Democracia nasce da união das ideias, das convicções e sobretudo nasce no seio do debate bem-intencionado e verdadeiro. Exposições e defesa destas mesmas intenções ou ideias têm que ser discutidas internamente, na hora certa e no local certo. Não podem ser expostas numa qualquer esplanada ou balcão de café.

Mas, caros Companheiros, sinto-me profundamente desiludido, será esta a palavra certa, por alguns Companheiros terem decidido, com todo o direito e respeito, seguir as suas ambições organizando-se em torno de uma candidatura à Comissão Política, por ter a firme convicção e certeza que essa mesma candidatura é constituída por pessoas inteligentes e capazes estou desiludido quando, quer seja por falta de maturidade política ou por maus aconselhamentos (ou maus conselheiros), as suas ideias, o seu projecto, se resume a NADA.

Pondo de parte a já gasta rectórica “política de proximidade”, a única vontade concreta que demonstra é, e bem, a criação de uma nova sede. Mas meus caros amigos, primeiro precisamos de reunir todos os militantes e simpatizantes em torno de um ideal comum para depois podermos “encher” a sede.

Desiludido porque usa um constante discurso de justificação das acções e atitudes passadas como ponto central de projecção do seu programa eleitoral.

Desiludido por constatar que não existem ideias concretas e fundamentadas  mas sim a personalização na vontade de ser contra. Não podemos cair na tentação de usar a força das nossas ideias com um único e principal objectivo, não de as fazer prevalecer por elas próprias, mas, ser contra alguém. Se assim for o nosso objectivo e discurso torna-se oco, vazio de conteúdo e descredibilizado.

Desiludido por me aperceber que algumas pessoas fora do Partido têm uma vontade incontrolável de influenciar alguns militantes chegando ao ponto de exercer com a sua autoridade coagindo assim a livre escolha no acto eleitoral indicando uma candidatura a apoiar.

Desiludido porque o Partido Social Democrata de Celorico da Beira merecia mais e melhor.

Se foram cometidos erros no passado? Claro que sim. Se o Companheiro Fernando Figueiredo, António Caetano, Luís Albuquerque, e eu próprio, cometeram erros? Claro que sim.

Mas a inteligência dos Homens está em usar esses erros para encontrar forma de não os tornar a cometer mas sim de transforma-los numa energia que nos una e impulsione para um futuro com objectivos, com propósitos.

Esse objectivo Companheiros, é sem dúvida o propósito, a vontade e a força para mudar o Concelho de Celorico da Beira expressa na candidatura ESCOLHERCELORICO.

Mudar a mesquinhes instalada nos últimos anos, mudar para que a sociedade celoricense viva o dia-a-dia sem medo de falar abertamente do que pensa, sem medo de nos olharmos nos olhos.

É por ter a força alicerçada nos ideais de Francisco Sá Carneiro e na Social Democracia que ESCOLHO CELORICO.

Um Forte Abraço

Rui P. Casaca

publicado por escolhercelorico às 11:02 | link do post | comentar